quinta-feira, 5 de junho de 2008

Fim.

«Daí a pouco, figuras de vapor, pai e filho confundem-se entre a multidão das Ramblas, os seus passos para sempre perdidos na sombra do vento

Queria acabá-lo. E não queria acabá-lo. Sinto um fascínio pelo livro e pela forma como chegou ao fim. Porém, quero mais, quero mais um capítulo, mais um bocadinho de todas as palavras conjugadas numa interacção perfeita.

Vou levar uns dias para digerir estas páginas sublimes. Seguir-se-á O Ensaio Sobre a Cegueira, do nosso Saramago.

Zuza, e as letras #2.

2 comentários:

paddy disse...

Comprei o Ensaio sobre a Cegueira na semana passada. Infelizmente ainda não o pude começar a ler por causa dos exames, mas tenho a certeza que não me irá desiludir.

Nikky disse...

Sei que aqui não há censura, mas vou arriscar..... Lamento mas "A Sombra do Vento" não foi escrito SÓ para ti! É genial, não é? E durante cada um dos capítulos senti algo parecido. Queria saber mais, queria terminá-lo e ao mesmo tempo que as páginas se multiplicassem e cada dia existissem mais.

P.S. - Boas notícias: parece que estará para breve um novo livro de Zafón em Portugal...