domingo, 4 de novembro de 2007

Pontos Finais.

Divertida, leve, simples, com uma discreta ousadia e relevo inesquecível. Trata-se da inteligente comédia Stranger Than Fiction. Uma história tão natural como a própria vida, sem grandes dramas e enredos, apenas o retrato rotineiro do ser humano em todo o seu esplendor.

«Numa manhã igual a tantas outras, Harold Crick, um solitário e discreto fiscal de impostos, começa a ouvir uma voz feminina narrar todas as suas acções com uma precisão assustadora. A outrora pacata e controlada vida de Harold vai deixando de ser pacata e muito menos controlada à medida que a voz - que só Harold consegue ouvir - vai narrando todos os acontecimentos do seu dia-a-dia. Até que, subitamente, a "voz" anuncia a morte iminente de Harold. Estupefacto e assustado, Harold apercebe-se que a única solução é tentar encontrar a pessoa que está a escrever a sua história e convencé-la a rescrever o final. Um divertido e apaixonante filme sobre a vida, sobre o amor, sobre a morte... e sobre os impostos.»

É de salientar a caricata - no entanto perfeitamente humana - personagem principal interpretada por Will Ferrel que não traz para este filme a bagagem das suas comédias mais físicas e algo ridículas. O restante elenco - Maggie Gyllenhaal, Emma Thompson, Dustin Hoffman e Queen Latifah - vêm apenas acrescentar o sério humor que caracteriza o argumento.

Em 10, seguramente um 10. Porque existem mais pontos sem ser o final.

abreu, uma história ainda a começar...

2 comentários:

Enthilza disse...

Filme muito bom. Começa ligeiro, aparenta ser mais uma comédia, e no fim resulta em algo inteligente e real, de que, se formos ver, tem cerne, consistência.

(uma pessoa tá fora do mundo cibernáutico uns dias e já vocês fizeram uma data de post's :P)

Minhocas na Maçã disse...

é consistência mesmo.
pois, porque esta gente nao pára! :D