quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Pseudo-ressaca

Junta-se uns trapinhos, rasga-se outros e seja o que Deus quiser. Dancei como nunca tinha dançado e abanei-me como nunca me tinha abanado. Dos bailaricos da pimbalhice aos kuduros, só as virilhas é que sofrem. Gritos, sustos, risos e gargalhadas, personagens irreais substituem os nossos conhecidos. Come-se, bebe-se (suminho), e vai-se dançar novamente. O tradicional filme de terror sempre presente, juntamente com as pipocas voadoras, é o momento mais calmo da noite. Lá para o fim, ainda se dá o desfile e, depois disso, a música continua até tudo ficar deserto. Para mim, o melhor dia do ano.

.abreu.

2 comentários:

mariana disse...

ja la vai o tempo em que ia a festas de halloween! (dois anos exactamente)

Mary disse...

se as minhas festas fossem todas como a tua, estava lá batida todos os anos! * obrigada pela visita, as minhocas na maçã são muito bem-vindas à minha humilde barraquinha