quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Isto é um não-post...

... 100 interesse. É o lixo não-reciclável expelido da minha mente. 100 imagem.

A Bela Adormecida esteve a dormir durante 100 anos até que o Príncipe a despertou. Durante a Idade Média ocorreu a chamada Guerra dos 100 anos. Além dos 100 anos não têm mais nada em comum, mas achei importante referi-lo. Vendo bem não têm mesmo nada em comum. A guerra demorou ao certo 116 anos. Portanto foi uma referência desnecessária e completamente inútil.

100 sentido.

Assim como este post.

Mas, visto a Bela Adormecida ter estado adormecida durante 100 anos, como é que ao fim desses 100 anos ela acorda com o cérebro a funcionar a 100%? E aceita 100 pensar minimamente a proposta de casamento do príncipe? Lá está, não estava bem a 100%. E de uma perspectiva conservadora, o príncipe é um homem 100 vergonha. Beijá-la assim 100 mais nem menos, ainda por cima estando ela a dormir? Estranho.

Estúpido.

Assim como este post.

Adormecida durante 100 anos? 100 anos de solidão? (Foi só para dar uma de inteligente e fazer referencia ao livro de Gabriel Garcia Marquez) Adormeceu aos 16, acordou com 116 e com a jovialidade de uma adolescente? Deve ser para as criancinhas acharem que têm de se deitar cedo e dormir o tempo suficiente para aos 100 anos estarem 100 rugas, 100 precisarem de operações plásticas.

Viciantes. (Que o diga a Betty.)

Assim como este post e o raio do número 100.

Cá para nós, isto é uma forma de persuadir as crianças. Elas acham que vão ficar bonitinhas para sempre. E como se querem deitar cedo, necessitam de uma historia. Então lá vão os pais ler a história do coelhinho que só sabia contar até 100 pela centésima vez, 100 vontade. Ao fim de 100 segundos já a criancinha dorme e a mãe pode ir ter com o seu marido à cama praticar o exercício da noite.

100 flexões e uns 100 dias depois (mais coisa menos coisa) já lá está outro. E o ciclo repete-se centenas de vezes, durante centenas de dias. E em vez de se repetir a história 100 vezes em 100 dias, a mesma é repetida 2 x 100 vezes nos mesmos 100 dias.

Ai, como eu gosto de números. E estou incapaz de parar de escrever. Força Zuza, força!

E a probabilidade de alguém ter chegado até ao fim deste post é quase nula. Até um centavo vale mais do que isto. Se estás a ler isto, provavelmente já estás 100 paciência. Se estás à espera de algo com piada, é melhor moveres o rato até ao canto superior direito da tua janela e carregares no X. Aqui não existem piadas interessantes.

Nem piadas desinteressantes.

100 interesse.

Aproveito para referir que tenho uma pancada por moedas de um cêntimo e faço colecção das mesmas. Quando atingir as 100 moedas venho cá informar-vos.

By the way,100 anos este post nunca teria sentido, aliás, este post não tem sentido, e daqui a 100 anos é pouco provável que venha a ter. Sentido zero, 100% imbecil e fora de contexto. 100 piada.

Acho que vou acabar por aqui. Visto já ter esgotado toda a minha estupidez, cof, uma centésima parte vá. Ela é bem pior que isto.

Portanto, é agora. Não tenho mais nada de racional a dizer.

De irracional também não.

Não.

Nada que seja importante de referir. O mais importante já foi referido: A Bela Adormecida, a Guerra dos 100 anos, os 100 anos de Solidão.

Sim, é agora.

Ponto final.

\me revira os olhos, olha para os pés, assobia, olha para o relógio.

Ok, afinal são dois pontos, alinhados verticalmente: POST 100! (Como se ninguém tivesse percebido ainda!)

Agora sim,

Zuzuuu ^^

5 comentários:

Ska disse...

havia de vir quem te arrancasse o braço direito (ou o esquerdo no caso de seres canhoto) e te espancasse até saberes contar até 100 em mandarim com sotaque algarvio!!!



Bela posta ;)

xary disse...

Parabéns pelo 100º post! ;)

Quanto à tua pergunta sobre "O Monte dos Vendavais" da Emily Brontë, de facto li-o sim, no verão passado, se a memória não me engana. O título original é "Wuthering Heights" e o livro serviu também de inspiração para uma música (penso eu que conhecida) de Kate Bush, com o mesmo nome. :)

Quanto ao livro em si...acho que a palavra que melhor o descreve é: intenso. Agora depende se isso te cativa ou não ;) Enquanto o li não consegui definir se me estava a agradar, havia partes que sim e outras que nem por isso. Mas é uma história que te deixa num tumultuoso balanço. Há todo um sentimento da época romântica presente na obra e as personagens demonstram personalidades rebeldes, cada uma à sua maneira, ausentes de quaisquer convenções sociais. Claro que mesmo que a história em si não te deixe perdida de amores, podes sempre deliciar-te com a forma como ela está escrita, naquele inglês de época maravilhoso :$

Sei que não revelei sobre o que trata realmente a obra mas acho que o que importa é a sensação que esta deixa ao terminar a última página. :)

Vale a pena nem que seja por ser considerado um dos grandes clássicos da Literatura Inglesa, há que diga até, Mundial.

Depois quando tiveres oportunidade de o ler, se ainda tiveres essa curiosidade, gostaria de saber a Tua opinião :)

*

Mary disse...

Eu li até ao fim :-)

E parabéns pelos 100 posts. Belas analogias!

Thunderlady disse...

Foi a minha primeira visita neste blog, li até ao fim e gostei. Bem , se não tivesse gostado não teria lidoaté ao fim. :)

Gostei dodetalhe do "\me". Há que tempos que não via isso!!

E apedar de normalmente não gostar de entrar num blogue e ouvir música, "Touch me" logo pela manhã é sempre bom!

Beijinhos e bom dia

Minhocas na Maçã disse...

Ska: Por outars palavras, queres que eu morra por espamcamento.

Mary: Obrigada! :D

Thunderlady: Obrigada pela tua visita, espero que passes por cá muitas mais vezes. :D