domingo, 7 de outubro de 2007

Os mistérios dos V's

Remember, remember the fifth of November,

The gunpowder, treason and plot,

I know of no reason why the gunpowder treason

Should ever be forgot.


Poder, totalitarismo, opressão, silêncio vs. idealismo, anarquia, liberdade... vingança. Os ingredientes para uma história que, embora situada num futuro pouco provável, pode um dia fazer parte das nossas vidas.

«Passado na paisagem futurista de uma Grã-Bretanha totalitária, "V de Vingança" é a história de Evey, uma jovem que é salva de morte certa por um homem mascarado. Identificando-se apenas como "V", o mascarado revela um carisma incomparável e um talento extraordinário na arte do combate e da astúcia. V desencadeia uma revolução quando insta os compatriotas a lutar contra a tirania e a opressão. Mas ao descobrir a verdade sobre o misterioso passado de V, Evey toma também conhecimento da verdade sobre si própria e emerge como imprevisível aliada de V, no seu plano para devolver a justiça e a liberdade a uma sociedade afligida pela crueldade e a corrupção.»

Apesar de ser uma adaptação da banda-desenhada com o mesmo nome, V for Vendetta é dos poucos filmes sobre política e revolução que vale a pena ver. A personagem V está extremamente bem trabalhada desde o mistério da sua origem aos seus ideais anárquicos e revolucionários. A inspiração dada por Guy Fawkes, não só nos dá uma perspectiva histórica, como também adiciona uma grande dose de realidade sobre toda aquela ficção futurista.

Para quem não conhece, Guy Fawkes foi membro da Gunpowder Plot, um grupo de ingleses que conspirava contra a Coroa Inglesa, e pretendia explodir o Parlamento no dia 5 de Novembro de 1605. Foram apanhados com os explosivos, não conseguindo completar a missão, e de seguida executados, mas nunca esquecidos. No Reino Unido, a noite de 5 de Novembro é celebrada como The Bonfire Night. A tradição é queimar um boneco, que simboliza Guy Fawkes, muito fogo-de-artifício, e recitar as rimas acima.

No filme, V tem como missão acabar o trabalho do conspirador do séc. XVII, abolir o governo no poder e dar liberdade ao povo inglês novamente.

Tocante, motivante e simplesmente brilhante. De 0 a 10, dou-lhe um 9 (isto porque o raio do homem nunca tirou a máscara!), e recomendo a toda a gente.

.abreu.

7 comentários:

lado errado do coração disse...

Por acaso nunca vi esse filme, mas já me o tinham recomendado e depois de ler este post, com certeza que o vou ver :)

Continuem com um blog assim, minhocas

Beijinho*

Minhocas na Maçã disse...

lado errado do coração: nao te vais arrepender.

E CONTINUAREMOS POIS! :D obrigado!

Enthilza disse...

Um filme fenomenal, com um final soberbo. Uma ode à revolução, uma lição a todos.
(Também dei-lhe 9, precisamente pelo promenor da máscara nunca ser tirada :p Fiquei contente e chateada.)

Cátia disse...

Eu vi imensas vezes o anúncio desse filme no Premium, mas depois não cheguei a vê-lo. Mas fiquei curiosa!

Ska disse...

Dá 10. Ele não tira a máscara porque, mais do que um homem, o V é uma entidade.
E há alturas em que ele anda sem máscara. Nós é que não conseguimos ver-lhe a cara

rafael, allan disse...

Por Zeus! esse filme trata da política e da anarquia de forma superficial, quase ingênua. As cenas de ação seguem o tom dos irmãos Wachowski, com o mesmo exagero de Matrix.
E V não tira a máscara porque ele representa uma idéia, ele não é um homem, no final das contas, isso não importa. E ainda bem que ele não tira a máscara, porque seria mais um final meloso e dramático que só Hollywood sabe editar.

Anónimo disse...

O "V" ñ tirou a máscara porque ele foi queimado quando ficou trancado em um quarto escuro como evey, foi torturado, e tudo aquilo pegou fogo ele ficava no quarto 5 em número romano, ele sobreviveu ao incêndio. Ele saiu do fogo e gritou:"V".