sábado, 8 de setembro de 2007

Da mais purinha que há!

18 contos bem acondicionadinhos num pequeno livro. Cada qual a sua história, uma mas absurda que a outra, mas todos com similaridades discretas excepto uma: são da autoria de um dos maiores génios do século XX/XXI. Ele é livros, ele é música, ele é filmes... ele é Woody Allen e o seu mais recente trabalho literário é verdadeiramente Pura Anarquia.

As pequenas histórias, que variam de 4 a 10 páginas, fazem juz à alma Woodyesca pelo non-sense e surrealismo que tanto divertiu o mundo ao longo da sua carreira (o homem tem mais de 70 anos!).

Embora sejam todos excelentes, a minha opinião leva-me a eleger A Física do Físico o melhor deles todos seguindo-se de Calistenia, hera venenosa, montagem final - que se destaca pela divertida correspondência insultuosa entre dois homens extremamente educados.

Leiam e divirtam-se, porque quando acabar vão querer mais! =)

"Sinto-me profundamente aliviado pelo facto de o Universo ser finalmente explicável. Começava a convencer-me de que o problema estava em mim. Segundo parece, a física, tal como um familiar que nos mexe com os nervos, tem as respostas todas. O big bang, os buracos negros e a sopa primordial aparecem todas a terças-feiras na secção de ciência do Times e , em resultado disso, o meu domínio da teoria da relatividade geral e da mecânica quântica rivaliza agora com o de Einstein - Einstein Moomjy, quero eu dizer, o vendedor de tapetes. Como pude ignorar existirem no Universo coisinhas do tamanho de «comprimento de Planck», isto é, um milionésimo de milimilionésimo de milimilionésimo de milimilionésimo de centímetro? Imagine-se, se se deixa cair uma coisinha destas num cinema às escuras, a dificuldade que será encontrá-la. E como funciona a gravidade? E, caso o seu efeito deixasse subitamente de se fazer sentir, continuariam certos e determinados restaurantes a exigir blazer? Aquilo que eu sei mesmo sobre física é que, para um homem situado na margem de um rio ou de um lago, o tempo passa mais depressa do que para um homem num barco - particularmente se o homem do barco estiver acompanhado de uma mulher."
início de A Física do Físico
.abreu.

4 comentários:

Enthilza disse...

E lá vou eu comentar outra vez!
Comprei há dois dias por acaso, e no dia anterior tinha comprado o Annie Hall, e no dia antes desse tinha visto Assassínio em Manhantan. Ou seja, ando a apanhar com o senhor Woody Allen todos os dias. Não que isso seja uma coisa má, entenda-se, porque genial mais genial não há.

Enthilza disse...

AH! E ainda vou para o segundo conto :P Mas já me está a abrir o apetite!
Prometo que não comento mais.

rui_amaral disse...

Vou a ler a meio.
Até agora estou a adorar.
Histórias curtas, divertidas.

Cátia disse...

ahah, adorei a parte final! :)