domingo, 9 de setembro de 2007

Existem momentos em que nos mentalizamos...

... que o tempo não estica nem volta atrás, os bons momentos não se voltam a repetir e que tudo tem um fim. Desejamos ter feito mais, desejamos não ter feito tanto, desejamos ter conduzido as coisas de uma outra forma. Queremos voltar a repetir tudo, tecer as conversas e as ocasiões ao nosso critério. Imploramos por uma oportunidade para fazermos aquilo que não fomos capazes de fazer antes. Mas ela não surge. Talvez nunca volte a surgir, mas nunca deixamos que a esperança morra. Sonhamos com o momento em que nos será proporcionada a tão desejada oportunidade. Por outro lado tomamos consciência que o limite está cada vez mais perto e não podemos parar no tempo. Pedimos liberdade, desenterramos forças, acalmamos a vontade. A ansiedade aumenta, mas não somos capazes. Chegou ao fim, a hora de dizer adeus. Não dizemos. No fundo pensamos que nunca será preciso dizê-lo. Sonhamos com a eternidade. Mas a verdade é que o fogo vai-se apagando, a vela começa a escassear e não fomos capazes de dizer adeus. Ficam as recordações, os sonhos, e o arrependimento. Afinal podíamos ter feito mais. Mas uma coisa que fica sempre é a alegria de termos feito tanto, não foi o suficiente, mas foi mais do que julgavámos ser capazes de fazer.

[Fotografia: a minha pessoa a caminho da bonita praia da Aguda no momento do pôr-do-sol.]


Zuzuuu ^^

3 comentários:

anarresti disse...

bela foto e texto forte.
o importante não será termos sempre horizonte? sentirmos que podemos escolher, mesmo errando.

Miguel Ferreira disse...

Grande fotografia e grandes palavras, os meus parabens, muito bom!

Minhocas na Maçã disse...

Anarresti: Temos sempre a oportunidade de fazer uma escolha, afinal trata-se de nós. Mas nem sempre somos capazes de escolher o que realmente queremos. Temos medo, e adiamos a escolha. E quando reparamos, já é tarde demais. As opções passaram-nos à frente e nós não agarrámos a que realmente desejávamos. :)

Miguel Ferreira: Obrigada (: